GameCultura

O Game como forma de cultura....

ENGLISH AS WE SPEAK - See this page in Google English
Tá rolando o I concurso do blog!
Não deixe de participar

27 abril, 2006

Faça seu game já

Seus problemas de desenvolvimento de games estão resolvidos.

O eBay tem em suas ofertas o Eugene Team, de Oregon, que inclui game designer, game writer, artistas 3D e 2 D entre outros. Juntos os 8 profissionais tem mais de 6o anos de experiência, 27 títulos publicados e um prêmio.

E sim: eles estão à venda.
Esse time todo pode ser seu durante 3 meses por apenas 150 mil dólares. Como não existem custos de frete, acho que podemos trazê-los para o Brazil e fazer render essa grana toda. Enquanto lá na casa deles 90 dias dá pra fazer mal e mal um protótipo, aqui com certeza eles fariam uns 10 jogos de excelente qualidade, e ainda fariam serviço de banco e café :-)

O único problema é que eles pedem um design doc (que alguns chamam de game bible) de no mínimo 700 páginas!!! Será que uns rabiscos em guardanapo não servem?

Investidor, pense bem, se eles forem bem "explorados", podem ser um ótimo investimento.

Lista de Nude Mods

Saiu no Blogcritics uma lista de modificações para deixar as personagens de games nuas, os famosos Nude Mods.

Tem para todos os gostos: desde a Alyx do Half Life 2, até o Homer Simpson. Mesmo o Oblivion que acabou de sair já tem seus nude mods, dentre os 141 mods listados no VGpro, embora o game tenha pouco mais de um mês de lançamento.

Segue parte da lista:
Acho que um dia alguém ainda vai explicar essa obsessão que algumas pessoas tem por ver polígonos nus.

26 abril, 2006

Gerard Jones hoje

Ok, acabei de voltar do SESC Consolação aonde acabou de acontecer a apresentação do Gerard Jones (Brincando de Matar Monstros, Ed. Conrad), e lançar o novo livro dele, Homens do Amanhão: geeks, gângsters e o nascimento dos gibis, pela mesma editora.

A fala dele foi bem baseada no livro anterior, em que ele mostra o videogame, em especial os violentos, como modelos seguros de relações sociais adversas. Falou um pouco sobre a complexidade das verdades múltiplas, sobre as observações do crescimento de seu filho, das suas experiências com jogos violentos, e da opinião da criança e adolescentes sobre eles; e isso é especial no trabalho do Jones, saber ouvir o seu público,s em chegar com modelos prontos de valores e condutas.

Fez referência por diversas vezes ao seu trabalho estar bem mais calcado à complexidade do adolescente do que a das crianças, embora nem público e nem a mesa tenha dado muita atenção a essa parte.

Na parte formal dos videogames citou o mau gosto imperativo das produções, e situou esse mau gosto como uma forma de agressão ao mundo que rodeia o adolescente. Independente disso, mostrou também como os produtores tem se esmerado em fazer tomadas cinematográficas bonitas apesar da realidade crua que eles insistem em propagandear.

Lembrou também que as imagens realmente influenciam, e é obvio que uma pessoa que vive essas imagens cotidianamente vai de alguma maneira ser influnciada por essas imagens. Por fim, sobre a diminuição da violência e sua possível relação com os games, ou a subsitutição desta por este segundo, ele prefere acreditar em um momento social mais propício a essa diminuição, independente dos videogames.

Ao fim, foram selecionadas algumas perguntas, aparentemente se optando pelas mais simples e popularescas, e desperdiçando-se a presença dos outros membros da mesa, que provavelmente nunca se repetirá.

Enfim, gostei, mas espero um dia poder assistir o Gerard Jones em um ambiente de pesquisa, com pessoas que já tenham pelo menos lido os livros dele, ou pelo menos façam alguns relacionamentos mais maduros e saibam aproveitar melhor a mesa.

Parabéns ao Sesc por mais essa iniciativa.

25 abril, 2006

Videogame vira peça de museu!

É claro que não me refiro a mais nova e moderna forma de entretenimento disponível no mercado, mas da nova seção aberta recentemente no Museu da Imagem e Movimento de NY. O Momi, como é conhecido o Museu, dedica a exposição a Ralph Baer, "o pai dos videogames domésticos".

A reportagem completa da Folha de São Paulo pode ser vista AQUI

Acho muito interessante a forma como o mercado de entretenimento digital vem caminhando. A velocidade e a intensidade que são mostradas novidades na área e mudança cultural que os jogos provocam, em apenas pouco mais de 35 anos de existência, os videogames já produziram material para entrar e fazer parte de um museu no sentido de já expressar uma forma relevante de produção artitica e, pela própria mudança da linguagem dos jogos, essa linguagem já possui o "status" de merecer ser recordada.

Muito feliz a iniciativa do MOMI e aguardamos iniciativas semelhantes serem feitas aqui em terra brasilis.

UPDATE: Valeu a dica Brunão, mas vou ter de completar a parte da iniciativa, pois desde o ano de 2000, a meca das novas mídias o ZKM (Centro de arte e mídia em Karlsruhe, Alemanha) já possui uma exposição permanente de videogames, World of Games, e que já foi inclusive atualizada em outubro de 2004, como World of Games: reloaded. No ZKM não tem uma Brown Box, que eu adoraria ver, mas eles tem o Tennis for Two, do Hingbotham, de 1958, 8 anos anterior ao genial Ralph Baer.
vlw, roger.

15 abril, 2006

Machinima: 2 x Too Sexy World of Warcraft

Depois de 14 horas non-stop revisando a tese, nada melhor do que descobrir uma coisa divertidíssima dessas.

Candidato ao Prêmio GameCultura de melhor machinima 2006.




Se você gostou do anterior, tem uma versão 1.1, com outros personagens mais divertidos, mais closes, e umas elfas mais bonitas. A sincronização do anterior é melhor.





Too Too Sexxxy!!!

11 abril, 2006

Debate: Lucia Santaella e o pós-humano

O ciclo de palestras ATOPOS, que vem discutindo as questões pertinentes à pós-humanidade, no Istituto Europeo di Design, traz agora um workshop com a renomada pesquisadora Lúcia Santaella.
Na esteira do sucesso de seu livro, Culturas e Artes do Pós-humano, a professora vem esclarecer pontos específicos sobre esse tema tão controverso.
“O objetivo desta palestra não é o de forjar um pretenso consenso no entendimento dessa expressão, mas, ao contrário, explorar seus usos, na pretensão de mapear um território dentro do qual se situa o recorte interpretativo que venho dando a ela”, diz.
Embora a maior parte da programação seja apenas para o pessoal da casa, este será aberto ao público. O encontro ocorre no dia 19 de abril , às 20h15, na sede do IED (Rua Maranhão, 617), tem entrada franca e as reservas limitadas podem ser feitas pelo e-mail convite@iedbrasil.com.br ou pelo tel (11)3660-8000.
Mais informações aqui.

Ah sim! O que isso tem a ver com videogame? Vamos ver se um dia consigo publicar minha tese de doutorado, Videogames: Brinquedos do Pós-humano, aí dá pra explicar beeeeemmm melhor.... Mas para adiantar: tem tudo a ver.

08 abril, 2006

PlayStation 3 lançado como "region free"!

Direto do Stroboman. A Sony anunciou que seus consoles PS3 serão lançados sem bloqueio de região para seus jogos, o que significa que você pode comprar seus games em qualquer país. Não significa exatamente que seus games virão na sua língua, mas já é um grande avanço, principalmente com o dolar em baixa.

Videogames melhoram as relações familiares

Ainda sobre o evento na Universidad Europea de Madrid.

O website espanhol Hardgames2 esteve presente no evento e fizeram um rápido resumo do que viram lá.
  1. 96 % dos entrevistados consideram que os videogames não deterioram a vida familiar, até melhoram-na;
  2. 53,6% dos menores de 6 anos jogam com algum familiar
  3. os videogames não fomentam condutas agressivas, segundo demonstram as numerosas investigações científicas.
Los expertos académicos también han aportado datos que demuestran que respecto a conductas agresivas no hay diferencias significativas entre jugadores y no jugadores. Los estudios específicos también descartan claramente que los videojuegos generen adicción.
Sobre esse discutível ítem, a violência, o Gamecultura lembra à todos que existem estudos que dizem o contrário, como as de Subrahmanyam (2001), Uhlmann (2003), e Bakar (2005).

Pra quem não conhece, a Universidad Europea de Madrid, é uma uni particular, que pertence à rede international de Universidades Laureate International Universities, com mais de 200 mil alunos no mundo todo.

06 abril, 2006

Espanha e os videojuegos

Acontece hoje (desculpem, só fiquei sabendo agora) na Universidad Europea de Madrid, o II seminario internacional sobre videojuegos: El ocio seductor: videojuegos y formación hoy.

Sediado pela Facultad de Comunicación y Humanidades. Departamento de Traducción, Interpretación y Lenguas Aplicadas, o seminário visa dar continuidade às relações iniciadas no ano de 2005 em sua primeira edição.

Durante o dia de hoje estarão acontecendo 4 mesas de debates:
  1. A nova geração de consoles
  2. Videogames e habilidades
  3. Meios de comunicação especializados
  4. Oportunidades de trabalho no setor.
De acordo com o website do evento, a Espanha detém hoje a 4a posição na produção de videogames na Europa, perdendo apenas para o Reino Unido, Alemanha e França. Acomoda 5 mil empregos nas diversas áreas do setor, e comeu uma fatia de 790 milhões do bolo econômico da Espanha em 2004.

Vamos ver se ano que vem a gente não perde o evento, e se eles fazem pelo menos 2 dias pra valer a longa viagem.

05 abril, 2006

Obesidade e videogames

Aproveitando a volta da onda de obesidade na mídia, o site de conteúdo do jornal espanhol El Pais publica uma matéria que afirma que a cada hora sentada em frente à televisão, e é claro aos videogames, o risco de obesidade aumenta em 2%.

Não é necessário dizer que nenhuma fonte "científica" assumiu tamanha especulação. Ainda mais, a prática do videogame não só se mostra sedentária como ainda por cima inibe as práticas saudáveis, como por exemplo... os esportes, claro.

Mas o videogame não está sozinho. As propagandas que ficam incentivando as crianças a uma alimentação menos saudável, como os fast foods, também foram lembradas.

Também não foram lembradas, obviamente, a utilização de tapetes de dança Dance Dance Revolution nas aulas de educação física, os novos controladores que reconhecem a posição no espaço, como no Nintendo Revolution, os dispositivos especulares, como a Eye Toy, e todos os investimentos que vêm sendo feitos em controladores corporais.

Quando esses controladores estiverem popularizados, vou querer ver a sabedoria do El Pais recomendando videogames para redução de peso. Essa vai ficar guardada....

04 abril, 2006

Dicas da Gamecultura: Conteúdo

Hoje, o super fanzine eletrônico Nova-E, publicou um artigo sobre a nossa futura TV Digital, assinado por ninguém menos que o Ministro da Cultura, Gilberto Gil, e pelo Secretário do Audiovisual, Orlando Senna.

O artigo traz uma grande verdade: o debate sobre TV Digital na mídia, é apenas tecnológico, focado apenas no padrão de modulação, responsável pela transmissão e recepção dos sinais, um dos aspectos-chave de qualquer sistema de televisão digital.
Depois o artigo apenas cita as coisas importantes que são deixadas de fora, e por fim acaba se concentrando na questão do conteúdo. Infelizmente.

Não porque o conteúdo não seja importante, claro que é. Mas a gamecultura tem nos mostrado cada dia mais como a abordagem conteudista não é tão mais relevante em nossa época ciborgue. Infelizmente o artigo que ia muito bem, acaba se afundando nessa abordagem, e se enterrando pelo estímulo à programação regional e à veiculação da produção independente brasileira nas emissoras públicas e comerciais.

Como será a TV Digital, isso ninguém sabe, mas que ela pode pegar umas dicas com uns 50 anos de gamecultura, isso ela deveria. Narratologia, enunciação e conteúdo são temas fortes nessa área.

E a dupla de articulistas fica nos devendo as coisas que ficaram em aberto no artigo. Estou aguardando.

E não deixe de assinar a Nova-e pow!

03 abril, 2006

A violência em jogo

Para vocês verem como o assunto de jogos não fica só na brincadeira, vai rolar no SESC Consolação uma conferência internacional com o título "A violência em jogo". Contando com a presença do jornalista Gerard Jones, para discutir sobre as verdades e mitos acerca das armas de brinquedo, jogos eletrônicos, histórias em quadrinhos e seriados de tv. Também haverá debates com Maria Cecilia Pereira da Silva (Sociedade brasileira de psicanálise), João Nagano Júnior (GROW), Maria Cecilia Aflalo (ABRINQuedoteca)
Dia 26, quarta, às 19:30.
Teatro SESC ANCHIETA, SESC Consolação, Rua Dr. Vila Nova, 245 Vila Buarque

RT: Quem não conhece o livro do Jones deveria conhecer, eu o recomendo bastante para pais com dúvidas sobre esse assunto, mas ele também aborda outros, como a sexualização precoce. Brincando de Matar Monstros: Por que as crianças precisam de fantasia, videogames e violência de faz de conta. O livro foi traduzido no Brasil pela Conrad.

02 abril, 2006

Revista Wired de Abril

Na onda que assola a imprensa "não especializada", cheogu a vez da revista geek chic Wired falar de games.

Não se assuste com o Will Right na capa, não é mais uma entrevista com ele: ele é o editor de 28 matérias em 40 páginas sobre o "futuro dos games", do jeito que a wired gosta.

Vou destacar apenas alguns spots que pretendo abordar aos poucos aqui no blog, mas não se conforme com eles: leia a revista!
  • preconceitos com as novas mídias;
  • games emotivos;
  • treinamento não-intencional;
  • sexo e games;
  • MMOPGS e a vida física;
  • in game advertising, entre outras.
Sempre com muitas figuras e legendas, bem ao gosto do leitor navegador. Pra quem gosta de informação com mais sustância, eu vou acrescentando dicas de alguns livros aqui, nos posts, coisa que a própria revista deveria ter feito se ela está tão preocupada assim com o futuro dos games, ou com a venda dessa edição :-)

Pra quem gosta de ficar "bem informado" sobre os assuntos da moda, além das 28 matérias são apresentados também alguns game designers, jogadores, e a sempre presente história do videogame. Ou você achou que cada matéria tinha quase duas páginas.

Hoje, quando for comprar o jornal de domingo, não deixe de trazer a sua Wired de abril.

01 abril, 2006

High Definition Gaming

Embora a parte de equipamentos não seja o foco deste blog, não podemos deixar de notar o crescimento do HD Game, que em resoluções extremas pode chegar a 2560 x 1600 pixels, nos atuais monitores de LCD de 30 polegadas.





Para esse absurdo de comandar 4.096.000 pixels ao mesmo tempo, não é preciso dizer que você vai ter de trocar essa plaquinha de vídeo que você usa para o Excel, não por uma, mas por 4 poderosíssimas placas de vídeo simultâneas!!!

Também estou pensando no que isso pode dizer em termos de produção de modificações de games ou de machinimas. Só o game não será suficiente.

Para saber mais:
Veja uma descrição do sistema aqui no site da nVidia:
http://www.slizone.com/object/slizone_quadsli.html

Leia sobre o Dell Renegade, um gaming computer equipado com esse sistema aqui:
http://www.pcmag.com/article2/0,1759,1908458,00.asp

Ou leia o Press Release em português, no curso Panoramas e Perspectivas, aqui:
http://gamecultura.com.br/cursos/course/view.php?id=
AVISO IMPORTANTE: EMBORA HOJE SEJA PRIMEIRO DE ABRIL ESTE POST NÃO É UM TROTE. A Notícia é de 30 de março, conforme a divulgação da nVidia Brasil.